segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Era uma vez

Era uma vez então, uma história inacabada:

Sim, ele era encrenca, das boas.
Eu sabia o que estava fazendo, ele também: estavamos fazendo uma coisa errada.
Mas eu gostava daquela luz dos olhos dele. Gostava de saber que estava me encantando mesmo sabendo que não deveria me encantar.
Apesar de todo esforço, meu poder era uma ilusão. Apesar do desprendimento, eu me enganava o tempo todo.
E na hora de pontuar corretamente a história, ele fecha a porta e volta para sua vida real. Sua colaboração eram as reticências, para os dois, porque ele não era egoísta.
Eu queria exclamações, muitas!!! Eu me cobrava tanto ser feliz que às vezes perdia a noção de que já era. E agora, o que fazer? Fugir da felicidade ou fugir com ela? (Interrogações)

Um comentário:

Eu sou... disse...

Querer exclamações depois das reticencias dele. Talvez colocar o ponto final seja a melhor saida!
Adorei o blog!

bjo