terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A lei do amor

Não sou declaradamente espírita, porém me identifico com algumas coisas na doutrina, e ontem, dia internacional do amor, um amigo me impressionou ao falar sobre a tal "lei do amor".

Ele dizia que algumas histórias de amor parecem escritas pelo destino. Tem que acontecer e pronto. Isso não determina um romance feliz ou não, mas sim um amor de almas. São laços fortes do passado. Pessoas que se reencontram após vidas sucessivas de paixão, ódio ou amor.
O destino pode aproximar duas pessoas, mas as escolhas, os comportamentos são determinados pelo livre arbítrio. A partir do momento em que nos responsabilizamos por nossas escolhas, acertos e erros, mudamos nossa vida. Em vez de vítima, seremos o agente da nossa própria história.

Na luz do Espiritismo, há uma explicação para uma ligação tão forte: as vidas sucessivas.

Na verdade, não somos meros joguetes do destino, obras do acaso. Aceitamos ou não os caminhos que nos são postos a seguir. Certo, apenas é que é difícil fugir a um compromisso que selamos na Espiritualidade antes de reencarnarmos.

Mesmo que você não acredite na reencarnação, o seu passado cármico está escrito no seu inconsciente. Durante o sono, seu espírito fica livre da matéria por algumas horas e relembra tudo. Você, conscientemente ou inconscientemente sabe porque sofre, porque atraiu ou não determinada pessoa. No entanto, Deus não quer que duas pessoas fiquem juntas por obrigação. Só o amor deve unir. Mesmo que haja algo muito forte, você conta com o livre arbítrio.

Escolha sempre o amor. Confundimos as paixões desenfreadas, o interesse material, as ilusões com o verdadeiro amor. O verdadeiro amor é o único que resgata, purifica e traz felicidade.

“nem a lei civil, nem os compromissos que ela faz contrair podem suprir a lei do amor se esta lei não preside a união; disso resulta que, frequentemente, o que se une à força, se separa por si mesmo; infelicidade que se evitaria se, nas condições do casamento, não se fizesse abstração da única lei que o sanciona aos olhos de Deus: a lei de amor”.
(Allan Kardec)

2 comentários:

Igor sausmikat disse...

Agora sim,vamos comentar aqui!!!hehehehe
ainda vou te conhecer pessoalmente Ludy e corresponder o dia do amor quem sabe!
parabéns pelo o texto,curti mto!!!
beijo enorme e tb uma linda semana pra vc!
Igor
meu blog de esportes: http://igoresportes.blogspot.com/ e no twitter quem quiser seguir @blogdoigor05
e se quiser me seguir no pessoal Ludy,ficaria mto honrado tb Ludy!!!eu gosto de vc!!!

Minhas historias do s2 disse...

Ludy adoro ler seus textos e esse realmente me fez pensar a respeito. Tem pessoas que entram em nossas vida que deve ser algo que ficou por resolver em outras vidas, e na minha acho que ainda terei umas 10 vidas pra acabar com esse problema. Beiijooos e continue escrevendo assim rsrs