segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Janeiro foi.

Janeiro foi: LONGO.
Abracei-o com toda vontade de quem paga pra ver até onde certas coisas vão, aquela vontade de quem não tem medo de viver o novo que vem.

Janeiro foi: INTENSO.
De emoções completas, entregas, expectativas, borboletas no estômago, sonhos realizados, fragilidade revelada, nervos a flor da pele, frio na barriga.

De encontros, reencontros e desencontros.

Janeiro foi: IMPREVISIVEL.
Dias de sol e noites de chuvas.
Instabilidade também do lado de dentro.

Eu quiz, arrisquei, conquistei.
Cai, sacudi, levantei.
Errei, acertei. ESPEREI.
Te recebi. Se te levarei pros outros meses? Ainda não sei...


Em janeiro comprovei que a mudança acontece de dentro pra fora, depende de você, da sua vontade de fazer, ser e acontecer.

Fui gigante e pequenina, fui dura e fui frágil, fui boa, fui má, fui chocolate (pudim) e mousse de maracujá. Vivi pra valer, para não querer - nem precisar - dizer que viveria tudo outra vez.
Fui tudo e janeiro foi, se foi.

Um comentário:

Rodrigo Boni disse...

Ludy, MARA rrsrsr.

Perfeito, e é bem verdade... só janeiro é assim? Vai subir a serra ou nem? rsrsrsr