quarta-feira, 3 de junho de 2009

Perdas e fins

Quase dou fim nesse blog.
Mas talvez alguns “fins” não sejam tão previsíveis assim. Mesmo quando a gente realmente quer um final.

Já ouviram falar na melhora da morte? Lí num site espírita que ela é provocada pela parte egoísta que não quer deixar que o outro se vá, isso faz com que ele use todas suas forças para ter uma melhora surpreendente, porém todas suas forças não são sufiencientes para traze-lo de volta a vida por muito tempo, e logo em seguida ele se vai, de vez.

Apliquei essa teoria em algumas situações, e isso me fez compreender muitas coisas.
Nosso sub-consciente é realmente algo extraordinário, mas mesmo que transforme nossos desejos em algo real, nada desvia o destino.

Ando dizendo que está tudo bem para escrever alguma coisa. E sempre que começo escrever entro numa crise de que não me sinto mais tão adequada na escrita. Mesmo quando a escrita me é uma salvação.

Preciso aproveitar esse post para agradecer meus amigos. Minhas amizades são dolorosamente fodas e nem um pouco fáceis de se encontrar. São raras pela sua exclusividade. Adoro ter encontrado as pessoas que encontrei. Obrigada a todos, Obrigada Deus.

E mesmo me fazendo de forte, achando que tudo isso é assim mesmo num quase conformismo de que são coisas da vida, dói pra caramba.
Ainda estou sensibilizada com perdas. Mas com uma certa experiencia consegui vivenciar uma perda saudável. Perdas que doem na mesma proporção de que tudo foi muito bom.
Eu sei que não é legal antecipar sofrimento. Mas é que fins e perdas andam fazendo parte de mim no momento. O que aprendi é que, já que é pra perder que seja uma boa perda. Uma ótima perda.
E no fim, ainda não perdi esse blog.

"Sou um animal sentimental, me apego facilmente ao que desperta meu desejo.
Tente me obrigar a fazer o que não quero e você vai logo ver o que acontece.
Acho que entendo o que você quis me dizer, mas existem outras coisas.

Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade.
Tudo está perdido mas existem possibilidades.
Tínhamos a idéia, mas você mudou os planos...
Tínhamos um plano, você mudou de idéia...
Já passou, já passou - quem sabe outro dia.

Antes eu sonhava, agora já não durmo.
Quando foi que competimos pela primeira vez?
O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe.
Não entendo terrorismo, falávamos de amizade.

Não estou mais interessado no que sinto.
Não acredito em nada além do que duvido.
Você espera respostas que eu não tenho mas, não vou brigar por causa disso...
Até penso duas vezes se você quiser ficar.

Minha laranjeira verde, por que está tão prateada?
Foi da lua dessa noite, do sereno da madrugada?
Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço...
Enquanto o caos segue em frente, com toda a calma do mundo."

Composição: Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá

4 comentários:

Edivaldo Rossetto disse...

se der fim a esse blo arruma encrenca comigo!!!

Ludy Nascimento disse...

Hahaha mesmo achando-o feminista demais vc se importa? Que notícia boaaa!!!

Carla disse...

Ludyyy conversamos sobre isso ontem já né, assisti uma entrevista de um psicologo ontem que dizia que toda dor não tem que ser calada, as pessoas nao tem que ser forte e sim falar disso, desabafar pra que isso não se torne mais um pesadelo e comece a ser lembrado só por partes boas...se vc parar de escrever vai deixar de usar um dom que Deus te deu...Amooooooooo por Demais!

Priscila disse...

Ludy!!! Não faça isso hen... seus textos, pensamentos enfim... são sempre maravilhosos, ler eles faz um beem tremendo para todas as pessoas que passam pelo seu blog, pois falam da vida como ela é! Adoro essa música do Legiãooo! Booom demais ;)