sábado, 10 de janeiro de 2009

Eu quero muito mais.

Eu quero muito mais, e se não pode me dar, basta.
O pouco que me concede não me contenta.
Chega de esperar e aceitar.
Seu tempo não deve ser o meu, não devo me adaptar a seus costumes.
Se quero agora, agradeça e faça.
Não pode fazer? Sinto muito.
Não vou esperar mais do menos.
O menos não me contenta então, .
Antes que crie raizes suficientes a ponto que eu comece a ceder, e resolva aceitar seus defeitos, agir ao seu tempo, e me contentar com seu pouco.
Sou muito mais do que imagina então não aceito teu pouco.
Culpa minha sim, pois a primeira impressão que tive foi mais do que você era, e esperei mais do que tinha a oferecer.
Mas me perdôo por ter enxergado a tempo de botar um ponto final no que talvez nem tenha tido um parágrafo inicial.
O problema é que quero muitas coisas pequenas, então pareço exigente. O problema é que não amadureceu o suficiente a ponto de saber até que ponto deve ceder.
Cobrar mais é um direito. Um direito de quem sabe se doar mais.

( 4h28 da manhã. Sim, bebi.)

Um comentário:

Priscila disse...

Perfeito!!! É isso mesmo Ludy...
Devemos sempre querer mais, nunca menos...
Sempre exigem mais de nós, e pq nós não podemos exigir dos outros??