terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Eu sei duvidar.

É uma pena que as pessoas não tenham fé nas certezas que a vida apresenta. As dúvidas são tão mais sedutoras assim?
Acreditar é realidade existente no lado invisível das situações, ao mesmo tempo, duvidar é a essência do que não se pode tocar, do que não se pode enxergar, daquilo que não é tangível.
Mas então, qual é o limite possível entre o fato e a suposição? Onde se encontra a linha estreita entre a verdade e a pura ilusão?
Ter a certeza é não duvidar. E no que sua mente é capaz de se agarrar? Na dúvida? Se duvida, então não acredita.
Impor diferenças é sonho de se chegar na igualdade.
E que interessante é não ter certezas!
A dúvida prende, instiga, excita e desperta tão facilmente... Suga uma mente de sabedoria, que não resiste a tentação de se entregar... E os despreparados se afogam nas incertezas tão mais acessíveis de se encontrar...
A dúvida é sempre o início.

É sempre alí que ela começa. E move sua mente aos delírios da imaginação: ora sorrisos por bons pensamentos, ora os prantos pela descrença.
Por que não dizer que duvidar é natureza do ser humano?
E ao mesmo tempo, quase intocável, tão escondida, mora a certeza na intimidade de cada ser.
O que é duvidar? É mudança, é alternância, paixão. Quanta dúvida ocupa a paixão! Se estou apaixonada, então sei duvidar. Porque a paixão é a incerteza entre o desejo e o amor. E então espero meu telefone tocar... E o encaro as mesmas milhares de vezes, pra ter a certeza de que quem eu quero não me ligou... e se me ligou, o encaro mais as mesmas milhares de vezes pra ter a certeza de que quem eu quero ligou... Não tenho dúvidas então, ou atendi, ou não atendi ao telefonema. E por que motivos confiro tanto as ligações recebidas? Que certeza é essa?
É a incerteza da paixão...
A PAIXÃO AVASSALA. Entra assim, sem pedir licença. Não bate na porta, não tem preparo, não traz sinais. Quando é notada, já te ocupou por inteiro... E o primeiro sintoma já denota sua existência. Mas a paixão não era uma dúvida? E não deixa de ser. Estar apaixonado é não ter certeza nenhuma:

"Será que preciso daquela pessoa?"
"Será que isso não vai passar?"
"Será que a amo?"
"Será que é recíproco?"
"Por que a quero?"
"Por que sinto tanto desejo?"
"Por que ela?"


Ah, como é gostoso se apaixonar!
Muitas e tantas vezes. Para aprender, para ensinar, para ter dúvidas e nenhuma certeza.
É o jeito de olhar, a forma de rir. A tentação, a vontade, o desejo incontrolável. A paixão tem a ver com o cheiro da pele, com o penteado, com as roupas, com as gírias, com as manias e com o humor... Estar apaixonado é pensar sem parar, é querer toda hora, é não conseguir ficar sem... É desespero de tanta vontade de ter por perto. É duvidar e não ter a certeza se vale a pena tentar.
Porque a paixão chega sem avisar, mas some na hora errada. E quando se vai, não deixa rastros, apenas marcas de que existiu.
A paixão é tão traiçoeira, inteligente, exigente, e misteriosa, fantasticamente gostosa!
Me apaixonaria por toda vida, por muita gente, por quase tudo:
- Se esse fosse meu dom.

3 comentários:

bruna disse...

Apaixonar-se é estar perdido em incertezas,em sonhos em realidade, e principalmente em pensar na pessoa em que se gosta antes de durmir.

Boa Ludy ! :D

disse...

Paixão... eis a questão do meu momento.. uma paixão avassaladora incontrolável que nem eu sei o tamanho da mesma.. sentimento bom que ao mesmo tempo machuca sem querer... Aii amiga.. tudo igual tudo na mesma.. mas a minha fé ta forte e firma aqui e não vou desistir dos meus ideais e dos meus princípios para esse ano de 2009

Ludy Nascimento disse...

Pensar na pessoa que se gosta antes de dormir e sonhar com ela... Né Bru?!