terça-feira, 7 de abril de 2009

Agora some, por favor

"Se uma corrente se rompe, é porque ela não era tão forte assim."

Não é de hoje que eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você, ou se você era apenas aquilo que eu queria ver em você. Eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era simples como não conseguir ver mais, entende?

Não sou de reclamar, mas é que tá doendo tanto...
Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro.
Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências e sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende?
Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu.
Se você tivesse ficado, teria sido diferente?
Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente?
Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê.
Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido.

Tinha terminado, então.
Porque a gente - alguma coisa dentro da gente - sempre sabe exatamente quando termina.


Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas. Como a vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser nova.

Mesmo que a gente se perca, não importa. Melhor que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim.

Te escrevo, enfim, pra ver se passa a dor dessa hora...

E eu acho que é por isso que te escrevo, para cuidar de mim - para não querer, violentamente não querer, de maneira alguma ficar na sua memória, seu coração, sua cabeça, como uma sombra escura.
Eu quero esquecer que não me sobrou nada do que eu acreditei que era o meu castelo.
E com você professor aprendi muita coisa, aprendi principalmente que sou mulher demais, sim... Eu sou mulher demais para ser prática, eu sou mulher demais para ser tolerante e fingir que nem vejo, eu sou mulher demais para receber suas explicações pouco criativas, eu sou mulher demais para conviver com uma pessoa tão fraca, eu sou mulher demais para colocar um ponto final em tudo isso, eu sou mulher demais e vou superar tudo isso.

Agora some, por favor.

3 comentários:

sugarboy disse...

OI LUDY, COMO VC ESTÁ ???, ESPERO QUE BEM!, EU NÃO SOU UMA ÓTIMA PESSOA PRA DAR CONSELHOS AFINAL TO VIVENDO UM DILEMA NA MINHA VIDA TB!!!!, MAS UMA COISA EU TE FALO, QUEM PERDE NÃO É A GENTE!!!SOMOS SUPERIORES A TUDO O QUE PODE ACONTECER, POIS UMA COISA TE FALO FIZEMOS A COISA CERTA, QUEM ERRA NÃO É NÓS...

MAS FIQUE CALMA QUE TUDO DARÁ CERTO...
E SAIBA QUE CONTIGO, EXISTEM PESSOAS QUE TORCEM MUITO POR VC E QUE A CADA VITORIA OU DERROTA,ESTARÃO SEMPRE DO SEU LADO, E UMA DELAS SOU EU!!!!

CONTE COMIGO
PRO QUE DER E VIER....
TE ADORO
BJAUMMMMMMMMMMMM

undiscovered disse...

de longe um dos melhores textos que já li.

e olha que leio bastante e não me impressiono facilmente.

vive. essa tristeza autêntica é bem melhor que viver ilusão de algo que apenas existia pra você.

beijo.

Denise disse...

Oi Luu !
Eu sei que voce ainda anda chateadinha pelo ocorrido, mas foi como eu te disse, nao foi ele que pediu que cada um fosse pro seu canto?! Então faça isso
Viva a sua vida, e isso demonstra que o que é seu tá guardado...
Nao tenha medo de mais nada do que vai vir pela frente, e com certeza você nao saiu perdendo nessa ;)

te amo =)