segunda-feira, 11 de maio de 2009

Primeiro dia útil

Chegou a hora, cansei de verdade dessa história.

História escrita a lápis, lápis-borracha para tudo ser mais prático. Escrita de qualquer jeito, torta, em linhas invisíveis. Com um início de perder o fôlego, mas com um eterno três pontinhos num final que nem existe.
Os três pontinhos são o que me matam, ponto final seria a dureza clara e o fim da história:

- Três pontinhos são o que me matam!

Uma história de adultos, escrita por crianças.
Você sem saber viver de tantas vidas por aí, eu sem conseguir viver porque virei sua hospedeira.
Quis sugar sua vida perdida, e me perdi.
Quis ser um pouquinho de você, morar aí dentro, bombear e mandar nas suas veias.
Você é tão livre, tão acima do chão, mas como tudo isso podia se quebrar a qualquer momento, quebrou.
De nada adianta, estou eu aqui de novo, tão única e surpresa, engasgada até sentir falta de ar.
Engasgada de você ir embora, engasgada de você nem se importar. Engasgada de você sempre sorrir.
E eu nem sei se vale a pena explodir porque você é surdo e cego.

É obvio que não sou perfeita, mas tô cansada de ter meus defeitos enfatizados.
Nunca entendo exatamente, nunca chego lá, nunca sou verdadeiramente aceita pela exigência propositalmente inalcançavel.
Meu riso incomoda. Meu choro mais ainda. Minha ajuda é pouca. Meu carinho é pena. Meu dengo é cobrança. Minha saudade é prisão. Minha preocupação chatice.
Minha insegurança problema meu. Meu amor é demais. Minha agressividade insuportável. Meus elogios causam espanto. Minhas constatações boas matam o amor. As ruins matam o resto todo. Se não explico, pareço louca. Se explico, sou louca.

- Chega! Não quero me tornar a vilã aqui.

Quando dizem que namoro ou casamento ou qualquer relacionamento mais sério não pode dar certo, eu discordo. O que definitivamente não dá certo, ao menos para mim, é se apaixonar.
Agora, que graça tem fazer qualquer coisa da vida sem estar apaixonada?
Ô vidinha filha da puta.

Ainda bem que é segunda-feira. Dia oficial de começar coisas.
Começar um parágrafo novo. Acabar com todas as interrogações e colocar um ponto final.
Começar uma nova fase com o coração fechado pra balanço.

- Desculpe-nos o transtorno, mas a cidadã está em obras por tempo indeterminado. Esperamos que, em breve, ela possa retornar. Livre das regras que criou pra si mesma. Livre das pessoas descartáveis que ocupam seu tempo. Livre dessa mania de querer dar palpite no destino. E presa somente a uma ordem: seguir suas vontades e seu coração.

4 comentários:

...."Rafaela"..... disse...

Muito bom!! Estou sem palavras, seu texto mexeu com meus sentimentos mais secretos..rsrs

Que coisa não....Continue assim Ludy...você vai encontrar seu caminho..tenha certezaa

beijos

Ludy Nascimento disse...

Preciso encontrar viu Rafinha, tô mais perdida que surdo em bingo! hahahahaha

Admin disse...

É Ludy....

Ótimo texto, fortes os sentimentos, realista sua visão e cega sua expectativa para o futuro.

Sua vida pode parecer filha da puta, vc pode pensar que seu coração está fechado para balanço........mas no fundo vc sabe que td isso é menor que sua alto-estima e alegria de viver, é menor do que O GATO mais legal do mundo....

Edivaldo Rossetto disse...

quantas lamentações...
lembre-se "todos os caminhos estão errados quando não se sabe para onde quer ir"


bju